DESINTEGRAÇÃO







DESINTEGRAÇÃO

Não se luta contra o veneno se não o provar,
E o veneno só é tal quando se alimenta,
Penetrando os lugares que não o aceitam,
Entrando na vida dos que acreditam.

Mas o sábio sabe que o veneno é um elixir,
Uma forma de alquimia que faz surgir,
Entre dores e sofrimentos a luz da cura,
Numa torre, uma montanha, alta e segura.

Então podemos desintegrar o chumbo da alma,
E criar com ouro, uma mudança tão calma,
E a vida sofrida presa em correntes,
Será iluminada por dias contentes.

Porque já não existe a ação corrosiva que coagula,
Uma ânsia de querer sempre mais, uma terrível gula,
Que se dissolve diante da vida e da busca,
Da luz que desintegra o mal, com brilho que o olho ofusca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário