ABISMAL


          



          ABISMAL


          No profundo oceano de idéias fétidas está,
          Aquele que te traga com palavras de ajuda,
          Querendo em seu mundo ser o dono de tudo,
          Procurando em seus erros as sobras de alimento.


          E você olha com o rosto atordoado pela mortalha,
          E sua dor é a dor daquele que sente a lei falha,
          Que corta a garganta e o pulso com afiada navalha,
          Que vê sua vida se consumir tal como palha.
          

          Oh! Oceano de eternas ondas abismais!
          Já não me basta abusar, sempre quero mais!
          Será que a vida se resume na tenebrosa entrega?
          Jamais verei as flores que o dono do mundo rega?
    

           As idéias malditas se proliferam na mente,
           É só esperar que as coisas surgirão mais à frente,
           Vença o abismo e verá a luz no fim do túnel,
           Espere o momento certo, que a certeza lhe dará.

                        
           Oh! Oceano de horríveis dias e noites!
           Já não quero mais, pois o que tenho basta!
           A tenebrosa entrega é vencida pelo amor à vida.
           O dono do mundo rega espinhos que jamais quero ver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário