A ESPERA, O DESTINO




Esperando paciente que se cumpra o destino,
Daquele homem que um dia foi um menino,
Correndo entre os campos verdes da vida,
Em letras já escritas em uma página não lida.

Mas qual a vida que não gera questão?
Sobre o que é realidade ou ilusão?
E corre a humanidade nutrindo a mente,
Por coisas que não sabe se saboreia ou sente.

O destino nos nutre de pedaços de humanidade,
Com aquilo que acreditamos ser liberdade,
Porém, onde está a liberdade de estar preso em turbilhão de pensamentos?

A espera não pode ser em vão,
Ela alimenta os desejos do coração,
Porém, qual coração que consegue esperar pela ânsia dos sentimentos?


Nenhum comentário:

Postar um comentário