domingo, 15 de maio de 2016

PEDRA SOBRE PEDRA





PEDRA SOBRE PEDRA

As pedras ruíram, as trombetas se emudeceram,
Os anjos foram embora, as vistas se escureceram,
E o pedreiro busca nos escombros o que ainda resta,
Partes da verdade, pedaços do que ainda presta.

Nossas cascas espalhadas em restos de ciência,
Transbordando em palavras e discursos de grande eloquência,
Deixando aquilo que envelheceu para assentar a pedra angular,
De um novo tempo que ajudamos despertar.

O ancião olha o tempo precioso passar rapidamente,
Como um filme, sua vida se dissolve em sua mente,
Enquanto o jovem desdenha do tempo perdido,
Entre novas paixões e o coração iludido.

Mas não há nada de novo debaixo do céu infinito,
Dizia Salomão, o sábio que se tornou um mito,
Que entre todas as riquezas escolheu a Sabedoria,
Sabia que o ciclo do mundo se reciclaria.

E estamos nós hoje, neste mundo insano,
Acreditando sermos algo mais, de outro plano,
Cada um, planejando se tornar deus de si mesmo,
Caminhando dentro de si, procurando a esmo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário