sábado, 23 de abril de 2016

VENENO ÍNTIMO




VENENO ÍNTIMO

A boca é um destilador de pensamentos,
Venenos e açucares dos momentos,
Da boca sai o ato negro da magia,
Ou palavras de carinho e alegria.


Uma faca de dois gumes afiados,
Corta os pensamentos duplamente criados,
Entre os pratos da balança da razão,
Entre o ódio e o amor que vivem no coração.


Fuja de mim, pensamentos malignos!
Que venha inspirações de elementos dignos!
A alma busca o alívio de seu peso,
Entre a atenção lapidada e o profundo desprezo.


A boca se limpa e se abre em sorriso,
Com amor e liberdade de um caminho preciso,
Onde a língua envolta pela serra de dentes,
Se prepara para exalar as notáveis mentes.


O veneno bem dosado pode ser remédio,
O açúcar mal utilizado é apenas assédio,
A serpente não morre pelo veneno que traz,
A abelha não produz mel com o veneno que faz.


Elder Prior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário