terça-feira, 19 de janeiro de 2016

A JANELA





A JANELA

Seus pensamentos esbarram no vidro da janela,
Olhando lá fora o brilho do sol, o obscuro se revela,
Nas sombras estão as chaves que abrem as portas,
As coisas guardadas, que você achava, estarem mortas.


Gravadas as palavras de sua mente criadora,
Atrás dos véus de sua matrona protetora,
Abra o livro nebuloso das atitudes escondidas,
Dos erros cobrados por coisas não vividas.


O diamante que corta o vidro se esconde no coração,
Guardado num baú entre as relíquias da paixão,
Deixado de lado, num canto empoeirado do passado,
Esperando um dia, pela luz do sol, ser iluminado.


Os pássaros cantam no meio das flores,
Afinados ao som da luz e suas cores,
Trazendo aos frutos seus diversos sabores,
A criação exalando os diversos amores.


O vidro da janela pode ser quebrado,
Abrindo a porta para o que há do outro lado,
Como seria pensar além do que conhece?
Ter fé e criar tudo aquilo que acha que merece?


Elder Prior.

2 comentários:

  1. Que linda inspiração! Boa tarde poeta estava com saudades obrigado bjos no seu coração💙

    ResponderExcluir
  2. Que linda inspiração! Boa tarde poeta estava com saudades obrigado bjos no seu coração💙

    ResponderExcluir