domingo, 26 de julho de 2015

SANSÃO




SANSÃO

Eu tinha a força de mil leões,
Vivia um mundo cheio de ilusões,
Como se fosse um guerreiro imortal,
Com um poder nas mãos, que era fatal.

Mas como todo mundo tem uma fraqueza,
A Dalila dos meus sonhos, burlou com esperteza,
Meus pensamentos se perderam nos seus lábios,
Como sempre, enganando os sábios.

Fiquei cego, acorrentado aos meus vícios,
Aqueles que eu acreditava não ter indícios,
Somente acreditei quando o fel provei,
Burlando em minha fraqueza, a força da lei.

Derrubaste sobre mim o peso do mundo,
Um Atlas sem moral, um Sansão do pecado oriundo,
Perdido nos escombros de uma mente ferida,
Pelos beijos e abraços da minha Dalila querida.

Empurrei os pilares que sustentavam minhas ruínas,
As trombetas tocavam as várias obras divinas,
Escrevendo em minha tumba esquecida,
"Aqui jaz, mais uma alma iludida".

Elder Prior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário