domingo, 27 de julho de 2014

FELICIDADE DE AMAR






FELICIDADE DE AMAR

Tanto tempo se passou, parece que nem foi tanto,
Parece que o tempo parou, se encantou no seu encanto,
As coisas do mundo de fora não acompanham,
As palavras que na saudade se banham.

E no crepúsculo do tempo, vejo você tão linda,
Que vinha ao meu encontro, sem saber ainda,
Que as aulas barulhentas de bateria,
Não era tudo o que você queria.

Eu construí muros, com tijolos desenhados,
Te prendendo entre telas de terreno dominado,
E o que era música se tornou verso e dança,
O que era juventude se tornou uma aliança.

Me deste em troca as mais belas obras criadas,
Pelo teu sorriso e tua genialidade, premiadas,
Obras que superaram os criadores e seus cinzéis,
Coloriram a vida com outros pincéis.

Mas o tempo passa, mesmo sendo eternidade,
Deixando em seu rastro as marcas da saudade,
De um tempo que vivíamos nossa jovialidade,
Deixando o eterno fluir em sua ansiedade.

Tocam ainda as velhas canções da memória,
Recordações que viraram história,
Quem sabe um dia possamos contar,
Aos nossos netos, a felicidade de amar.

Elder Prior

domingo, 13 de julho de 2014

BANDEIRAS HEROICAS





BANDEIRAS HEROICAS
Colocaram bandeiras heroicas em todo lugar,
Marcaram seus territórios, em terra, em mar,
Com ideias nacionalistas criaram seus muros,
Com sua política patriota e regimes duros,
Fizeram surgir o medo da diferença,
E da diferença, a pátria e sua crença.
Mas para o lucro certo não existe nação,
Colocam seus tentáculos no meio da multidão,
E os cordeiros seguem, hipnotizados para o abate,
Olhos minuciosos, mídia sanguinolenta, vencendo o jogo,
Xeque mate!!!
As fronteiras se estendem na mente corroída,
Se digladiam no front, uma passagem só de ida,
Enquanto os lucros mancham a terra de vermelho,
Não se vê rostos estampados no espelho,
A multidão aceita o governo e vendem seu amor,
Por alguma bandeira que sempre trouxe dor,
Orgulho de ser mais um na estatística da morte,
Mais um que fugiu do limiar da sorte.
Os bancos se espalham junto com seus nomes divididos,
Nomes fictícios para lucrar com a escravidão do povo falido,
Que se maravilha com as artimanhas de grandes invenções,
Se perdendo em sua ilusão, com suas letais injeções.