quarta-feira, 25 de junho de 2014

O OLHO




O OLHO

Eu sou o olho que tudo vê,
Percorro seu mundo, escravizo você,
Sei quais são seus delirantes desejos,
Onde sua mente fraca pode ma aceitar.

Enxergo as verdades em suas mentiras,
Os retalhos de sua alma feita em tiras,
Carrego a mente coletiva da humanidade,
Que acredita na ilusão, achando ser a realidade.

Alimento seu ego com tecnologias absurdas,
Abro seus tímpanos, mentalidades surdas,
Grito plalavras de ordem e escravidão,
A besta do Abismo, uso como escrivão.

Eu sou o olho que tudo vê,
Correntes arrastadas, açoites invisíveis,
Atendo seus desejos profundos,
Escondidos nos cantos mais imundos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário