quarta-feira, 25 de junho de 2014

O OLHO




O OLHO

Eu sou o olho que tudo vê,
Percorro seu mundo, escravizo você,
Sei quais são seus delirantes desejos,
Onde sua mente fraca pode ma aceitar.

Enxergo as verdades em suas mentiras,
Os retalhos de sua alma feita em tiras,
Carrego a mente coletiva da humanidade,
Que acredita na ilusão, achando ser a realidade.

Alimento seu ego com tecnologias absurdas,
Abro seus tímpanos, mentalidades surdas,
Grito plalavras de ordem e escravidão,
A besta do Abismo, uso como escrivão.

Eu sou o olho que tudo vê,
Correntes arrastadas, açoites invisíveis,
Atendo seus desejos profundos,
Escondidos nos cantos mais imundos.

sexta-feira, 20 de junho de 2014

MULHER BELA


MULHER BELA

Um dia você surgiu entre a névoa das brumas,
As corujas cessaram o pio, foram jogadas as runas,
O sortilégio dizia: um amor impossível.
Um ser nem vivo, nem morto, no espelho, invisível.

Mas era linda como a noite de lua cheia,
Sua voz em melodia com um canto de sereia,
Em tua pele fria o calor do amor eu sentia,
Mas tu fostes embora antes do raiar do dia.

Quem seria aquela mulher tão bela?
Que carregava em suas mãos uma vela?
Olhou em meus olhos como se olhasse minha alma,
Pegou minhas mãos, olhou minha vida na palma.

Porque tu se escondes? Perguntou com tristeza,
A sabedoria não vem de nenhuma riqueza,
As uvas secaram e não se tornaram vinho,
As cordas desafinadas racharam o corpo do pinho,
E neste caminho só encontrará o final,
Quando tua alma se livrar de todo seu mal.

domingo, 15 de junho de 2014

MOTO PERPETUO - AGORA


AGORA

Agora que você já destruiu palácios,
E construiu ideias para pescar ilusões,
Termine o prazo de sua idiotice,
Rasgando o véu que cobre teu rosto,
Sopre o vento gelado que lhe petrifica a alma.

Espere o mormaço quente de uma nova estação,
Sorria ao ver seu rosto pálido no espelho,
Querendo lhe dizer que existe ainda algo que vive,
Que resplandece dentro do coração ferido,
Se tornando as asas que farão o voo pelo infinito,
Olhando ao longe as estrelas do universo,
No ritmo das esferas escrevendo versos.

Elder Prior