quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

VELHO PERGAMINHO






VELHO PERGAMINHO

Num pergaminho estava escrito uma canção,
Perdida no tempo, passou momentos de solidão,
Nas penumbras empoeiradas, ficou guardada no porão,

Cicatrizes marcadas, arrancadas de um coração.

Fugiu do tempo, mostrando que o amor é eterno,
Por mais que passe entre primavera, verão, outono e inverno,
E o Sol pelo Zodíaco acariciando as divindades,
Trazendo todo dia seus raios de felicidade.

O vento sopra a poeira, o poema recebe vida,
Nas letras encantadas pela tinta inserida,
Preenchendo o caminho com cheiro de amor,
Trazendo à vida, as ideias do compositor.

Onde estaria seus pensamentos neste momento divino?
Procurando amor e carinho do toque feminino?
Ou estaria perdido nas emoções que conheceu?
Que com muito capricho o passado escondeu?

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

THUNDERBIRD



THUNDERBIRD

Pássaro trovão, se espalhando pela montanha,
Sobrevoa as paisagens que o grande lago banha,
Com seu poder mágico, de plumas entre brumas,
Ou correndo o deserto escaldante, entre dunas.

Homem pássaro que vem de outro mundo,
Espírito sagrado, do além oriundo,
Um velho índio que conta sobre a vida,
Uma natureza que, no tempo, foi perdida.


Voa o condor pelo tortuoso caminho,
No alto das montanhas faz o seu ninho,
Beija o céu com suas asas de Ícaro emplumado,
Olha o Sol com sua alma de gigante extasiado.

E o homem, um dia foi para o seu lar,
Num lugar muito distante, prometendo voltar,
Deixou seu filho escondido nas alturas,
Parado num tempo de divinas criaturas.

As lendas se espalham pelos corações da humanidade,
Não se sabe o que é realmente verdade,
Mas se pode ainda ver, lá encima, no infinito,
As sombras de um pássaro trovão tão bonito.

Elder Prior

A POÉTICA MUTAÇÃO - DÁDIVA




DÁDIVA

Dar, tem que ser , sempre, maior que receber,
Fazer coisas boas, contemplar a vida sem perceber,
Um frasco de amor espalhado no ar,
No coração pleno do sentimento de amor.

A dádiva não está fora do amor,
É ela que ilumina e produz calor,
Onde a alma é uma chama de paz,
Plena de uma essência que te satisfaz.

Dar o que você tem da mais belo,
Com cores de luz o mundo pincelo,
Para o orgulho se humilhar com a beleza,
Trazendo nuvens de algodão, trazendo clareza.

Somente dando é que se recebe,
Somente assim é que se percebe,
Que a vida é bela no ato de dar,
Simplesmente, um ato a celebrar.

Elder Prior

sábado, 8 de fevereiro de 2014

MARCA SUTIL





MARCA SUTIL 

À noite saio pra te encontrar,
Na minha vida noturna, mágica secular,
Ainda te encontro com as mesmas formas de outrora,
De tempos que o destino malvado levou embora.

Te vejo em detalhes que só a alma pode ver,
Em trajes que um viajante jamais iria ter,
Pobre mendigo da noite, Bardo enlouquecido pelo vinho,
Caminhando pelos becos escuros, dormindo em desejos, sozinho.

E na solidão noturna, consigo enxergar na imensidão,
Através da vontade dispersar a escuridão,
Sentir seu perfume, que outrora em ti impregnaste,
Ver detalhes que a vida em ti, acumulaste.

Mas não posso esquecer jamais um detalhe perfeito,
Uma pinta que ainda vejo e sinto em meu peito,
O desejo de novamente nela poder tocar,
E no delírio desta noite, continuar.

O dia amanhece e tudo acabou,
O que era bom a realidade tomou,
Quem sabe o que poderá ser da minha vontade?
Que sempre volta esperando pela verdade?