sexta-feira, 3 de maio de 2013

OS QUERO-QUEROS





OS QUERO-QUEROS

Os Quero-queros ainda não perceberam, que serão despejados,
Desterrados de seus montes verdejantes, por montes de civilizados,
Em suas terras serão construídos condomínios de alto padrão,
Assim como fizeram com a andorinha, a pomba e o gavião.

Andam de um lado para outro, apressados,
Pensando assim fugir dos outros atarefados,
Que com seus tratores desmoronam vidas,
Sulcando a terra, abrindo feridas.

Dizia o poeta: “Narciso acha feio o que não é espelho”,
Construções luxuosas acima do chão vermelho,
Os Quero-queros ainda correm para vigiar sua cria,
Mas já nada existe, somente casca vazia.

Será a beleza uma faca de dois gumes?
Onde se mistura ouro com estrume?
Onde viverão os Quero-queros?

Será a humanidade tão hipócrita e absurda?
Com a ganância de sua mente surda?
Onde viverá a humanidade?

Nenhum comentário:

Postar um comentário