quinta-feira, 25 de abril de 2013

POR ENTRE A SELVA ESCURA






POR ENTRE A SELVA ESCURA

Os erros da vida se perdendo na selva,
Na escuridão,
Por entre as asperezas do Umbral,
Abandonado o caminho certo,
O sono perturbando os sentidos,
Minh’alma adormecida, no meio das minhas aflições.

Subindo a colina, esmaecendo na escuridão,
No vale do mundo mundano,
A luz do Sol diminuindo a inquietação da noite,
O medo me devora a força,
A beleza disfarçando o perigo.

Por entre a selva escura,
A comédia começou,
Sair da loucura da vida normal,
Animais ferozes empurravam meu ser para as trevas.

Mas meu interior,
Afastando o perigo e as aflições,
Sofrendo guerras do áspero caminho,
Lastimosas visões,
Levam-me a meditar,
Ora quero, ora não quero, negando seguir meus passos.

O medo me desvia da honra,
Nivelando-me à uma besta satânica,
No limbo estava a alma pedindo,
Pedindo uma chance de viver.

Nenhum comentário:

Postar um comentário