quinta-feira, 25 de abril de 2013

DUAS ALMAS






DUAS ALMAS

Como é bom acordar todo dia e te ver,
Me sorrindo e enxergando a alma do meu ser,
Envelhecido como uma bebida no carvalho,
Um hidromel adoçado com gotas de orvalho.

Quero ver você sorrir como, quando te conheci,
Lembrar das coisas boas, que ao teu lado vivi,
O tempo marca a linha com pontos de amor,
Cicatrizes boas que fazem esquecer a dor.

O dia é mais lindo ao teu lado,
Sonhando ser ainda o eterno namorado,
Que nas adversidades conheceu o seu ombro amigo,
Vivendo nostalgias e trilhando o caminho contigo.

Amanhã, quem sabe ainda, minhas mãos enrugadas,
Consiga enxugar do seu rosto, lágrimas roladas,
De alguma tristeza que o tempo trouxe do infinito,
Que eu possa transformar em um campo florido e bonito.

E quando eu já não estiver mais aqui,
Terás em tuas mãos estes versos para ti,
Longe, em algum lugar, uma alma gêmea a te esperar,
Sabendo que no infinito irá sempre te amar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário