domingo, 7 de abril de 2013

DORME EM PAZ E MORRE TRANQUILO





DORME EM PAZ E MORRE TRANQÜILO

Entre os portais do tempo,
No mosteiro de Salomão,
As minas enriquecem o homem,
O ouro lhe transforma em deus.

As águas se transformam em Sal,
Ao chocar-se com o mundo,
As águas viram cristais,
As pedras dissolvem a crueza.

Onde vive o gênio eterno,
Aquele que domina o mundo,
O Baphometh da nossa realidade,
O sangue que vai e volta ao amor.

Onde tu vais, ó grande acrobata,
Que perambula por linhas vitais,
O equilibrista de várias palavras,
O soldado no meio da batalha.

E eis que surge no horizonte Salomão,
Ele vem trazendo uma carruagem de ouro,
E dará as rédeas em suas mãos,
E dominará em suas mãos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário