sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

BUSCANDO PERDÃO








BUSCANDO PERDÃO

Sozinho na noite, sonhando acordado,
Em frente às estrelas, bem acomodado,
Dentro de mim procurando entender,
A vida que passa, nascer, crescer e morrer.

E no tempo vital, com meus pecados,
Com idéias e impulsos derrotados,
Pela ânsia de viver tudo o que se deseja,
Um Aladim sem lâmpada, sem brilho, não acesa.

Nos erros contidos em meu coração,
Procurando paz, amor ou paixão,
Mas é tão difícil aceitar a culpa interior,
É mais fácil por culpa nos outros, no exterior.

Mas a culpa condena os seus atos errados,
Todos são por sua alma observados,
 Às vezes o arrependimento bate na porta,
É hora de mudar esta realidade morta.

Se existe arrependimento existe o perdão,
E os atos errados de outrora, são azedos como limão,
Mas o mel só adoça quando o coração se liberta,
Quando fazemos a grande descoberta.

Que o amor é capaz de perdoar,
O perdão pode ser dado para salvar,
E a vida pode continuar o seu caminho,
Que liberta os pecados marcados no sudário de linho.

Então foi falado:
Perdoai-os porque eles não sabem o que fazem!

Um comentário: