quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

OS BOIS






OS BOIS

Por caminhos tortuosos eles passam,
Na dança complexa para a morte,
Pelo corredor olhando o fim,
Um parente está morrendo.

Ouvem urros de dor no horizonte,
E martelos batem como em sinos,
O suor passa em suas lágrimas,
Avisando que está próximo o seu fim.

Abrem-se as portas das grades,
Que estão ali a lhes fechar,
Mas em sua frente está o carrasco,
Esperando para o martelo lhe tragar.

Chega o carrasco lentamente,
O seu coração pulsa e sente dor,
O martelo vem descendo lentamente,
Arrebenta seu crânio lhe despedaçando a vida,
Nem deu tempo de se despedir.

Um comentário:

  1. Uma realidade, que quando paro pra pensar no sofrimento desses animais chego a chorar.
    Será que são muitos os que se colocam no lugar desses animais ? todos derramamos lagrimas, ate os animais.
    Adoro animais, amo!
    Parabéns pelo texto Elder Prior!
    Abração...

    Lyu somah
    http://lyusomah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir