terça-feira, 16 de outubro de 2012

CARTAS DE AMOR - XIV - TEMPERO





CARTAS DE AMOR - XIV - TEMPERO

Temperas meu amor com seus sabores,
Com seus vestidos, destilando cores,
Me diz que sou a metade do que lhe é direito,
Que tens o meu amor guardado em seu peito.

Temperas a minha vida com seu sorriso lindo,
Com seus olhos me embriagando, minha alma invadindo,
E tudo que eu queria saber sobre o amor,
Algo infinito que realmente possa dar valor.

Tudo tão mágico com a nossa vida,
Que intrigas são suspensas, curada a velha ferida,
Que um dia deixou a cicatriz do perdão,
Das coisas causadas pela vã ilusão.

E me embriago novamente em seu tempero,
Que me domina com seu toque ligeiro,
Coisas que passam pelo tempo sem se ver,
Sentimentos guardados, percebendo sem perceber.

Nenhum comentário:

Postar um comentário