sexta-feira, 12 de outubro de 2012

CARTAS DE AMOR - XIII - O AMOR ESTÁ MORRENDO




O AMOR ESTÁ MORRENDO

Não deixe nosso amor acabar assim,
Sei que você ainda gosta muito de mim,
E que as coisas que foram ruins, foram embora,
Para que o nosso amor se realize sem demora.

Sei que não sou tão fácil de entender,
Nem é tão complicado ao meu lado viver,
Mas minha ânsia de chegar em seu coração,
Pode lhe causar uma certa desilusão.

Não é qualquer pessoa que consegue me engolir,
Sou um vinho azedo, vinagre ruim de deglutir,
Mas sei que meus anseios são os mesmos que os seus,
E que seus desejos são os mesmo que os meus.

Não deixemos o amor morrer,
Como uma fênix do fogo tem que renascer,
E ascender do alto como a luz do destino,
Aprendendo moldar as partes do masculino e feminino.

Tudo é tão simples quando o amor existe,
Dentro dos caminhos errados que o ego insiste,
Em levar pelo vento como um cavalo selvagem correndo,
Mas não se pode falar que o amor está morrendo,
Porque ainda atrás do seu amor vou vivendo.




Um comentário:

  1. UAU! IMPRESSIONANTE! o que mais eu poderia dizer perante tão singular poema?
    Simplesmente IMPRESSIONANTE!!!!!

    bjão

    ResponderExcluir