quarta-feira, 26 de setembro de 2012

VIDA






 VIDA

    Um dia acordei, cercado de águas e de amor e de temor,
    Me descobri em mim e senti que vivia dentro de um mundo,
    Mas de repente aquele mundo começou ruir e havia muito      calor,
    E aquele mundo passou e o tempo se foi como se fosse um segundo.


    Mas deste mundo pequeno, líquido e quente,
    Surgiu outro, frio, tenebroso, enorme para o meu ser temente,
    Vi um anjo me segurando e sorrindo com a alegria do amor,
    E todo aquele pavor se foi e o anjo aliviou minha dor.


    Então criança, criei o meu mundo, livre, feliz e terno,
    Alguma coisa me dizia que aquele momento seria eterno,
    Mas de repente, aquele mundo começou ruir e havia uma nova dor,
    E aquele mundo passou e o tempo se foi como se fosse o amor.


    Então, surgiram novos cabelos, novos sons, novos pensamentos,
    Surgiram dúvidas, idéias, ideais que mudavam os momentos,
    Vi um anjo sorrindo e segurando minha mão nestes momentos de confusão,
    E toda confusão se foi mas o anjo não largou minha mão.


    Um dia eu andava pelos caminhos da minha solitária vida,
    Procurando alguém que talvez pudesse estancar minha ferida,
    Mas de repente surgiu em meu mundo um novo anjo, um novo amor,
    O anjo que me acompanhou disse adeus e me mostrou seu verdadeiro valor.


    Mas neste mundo, imundo com minhas crenças vencidas,
    Surgiu um outro, onde eu pude constatar a purificação tanto querida,
    E o novo anjo me mostrou um novo mundo, bem mais belo que as vidas já referidas,
    E aquele mundo passou e o tempo se foi como se fosse uma vida.





   Então adulto, fingi ser gente grande e seguro de mim,
   Para todas as perguntas respondidas eu dizia sempre sim,
   Mas de repente aquele mundo começou ruir e havia uma nova questão,
   E toda segurança de si era mentira, e o anjo não venceu minha solidão.


   Então surgiram novos caminhos, novas buscas e novos mundos,
   Alguma coisa me dizia que aqueles momentos seriam felizes,
   Procurando por aquilo que se escondia dentro de meus pensamentos circundos,
   Que já não me mostravam seus pedregulhos, espinhos e diretrizes.


   Um dia eu chorava, sentado a beira do meu solitário caminho,
   De cabelos brancos e uma bengala naquele percurso árido e sozinho,
   Eis que alguém bateu em meu ombro e perguntou pra onde eu ia,
   Respondi que já havia andado muito mas aonde ia, nem mesmo eu sabia.


   Então velho, olhei para trás e vi quantos anjos rezavam por mim,
   E minha caminhada ainda era longa, distante ainda estava o fim,
   Olhei para frente e o caminho se perdia no meio do horizonte,
   Perguntei a mim mesmo se um dia eu poderia beber da água viva da fonte.


   Mas deste mundo meu tempo se findava e o caminho acabou,
   E a alguém de outrora voltou e no meu ombro novamente tocou,
   Perguntou pra onde eu ia, e eu ainda, entristecido, não sabia,
   Então este alguém me explicou uma coisa que eu ainda não via.


   Existem muitos caminhos, muitos mundos, muitas moradas,
   E a vida passa por todos continuando em suas caminhadas,
   Onde quer que a vida vá, com seus anseios e seus desejos,
   Levará consigo aquilo que todos, toda a vida procuram em seus almejos,
   Almejam encontrar a felicidade em tanta coisa e ela nunca saiu do seu lado,
   É só abrir o coração e sentir o amor e a nobre sensação de passar por uma vida sendo amado.


   Ame e serás amado!!!          

Nenhum comentário:

Postar um comentário