quarta-feira, 12 de setembro de 2012

CARTAS DE AMOR - VIII - JUSTA METADE



JUSTA METADE

Minha justa metade, infinita idade,
Procuro em ti os mistérios da felicidade,
O meu amor se pesa na balança do coração,
Desejando desvendar a justa metade de emoção.

Em tuas mãos está a outra parte do meu amor,
Em teus seios estão o crescente e o minguante do ardor,
Duas bandejas que me mostram a justa metade,
Daquilo que tenho dentro de tua vontade.

A sedução de teus beijos que acariciam minha parte,
Danças exibidas na luz da Lua, um apelo da arte,
Envolto em suas chamas a dúvida ainda me resta,
Ártemis guerreira ou casta Diana, caçadora da floresta.

Quem sou sem minha parte gêmea?
Quem diz que o homem não tem seu lado fêmea?
Os pratos da justiça são cegos para aqueles que se amam de verdade,
Param no tempo quando encontramos a justa metade,
Mostrando ao mundo que ao amor não existe idade.


2 comentários:

  1. Quem diz que o homem não tem seu lado fêmea?
    Entorpecedor, amei.

    ResponderExcluir