terça-feira, 4 de setembro de 2012

CARTAS DE AMOR - VII - A CARRUAGEM






A CARRUAGEM

Sou a magia da abóbora que se transforma em carruagem,
Que leva com amor,  você em tão linda viagem,
Apanho seu sapato de cristal e beijo seus pés,
Porque te amo na tua forma tão singela que és.



Sou a ideia mais doce do seu coração,
Viro um doce de abóbora na sua visão,
Te adoço com beijos e suspiros dos sentidos,
Nos momentos divididos e bem vividos.



Mas se um dia me disseres que chegou ao fim,
Serei mais uma alma penada em festa Halloween,
Uma gárgula na abóbora deixada em cima do muro,
Tristeza abandonada por um amor inseguro.



Voltarei ser apenas uma rama no jardim,
Escondida de um amor, coberta de jasmim,
O tempo seco, vem secar minhas flores lacrimais,
Guardando a lembrança do cristal nos pés que não verei nunca mais.

Um comentário:

  1. UAU! Que lindo... como é bom te ler... NOSSA!
    Parabéns pelos encantadores versos. Um arraso!

    bjkas

    ResponderExcluir