terça-feira, 10 de julho de 2012

SEDUÇÃO




SEDUÇÃO


O nosso amor assim se construiu,
Não é como o amor de Platão ou Romeu,
A Julieta dos novos tempos, és tu,
Tão bela e sedutora nos lençóis despida,
Sem o teu semblante,
Entre os travesseiros a se esconder,
Os lábios carnudos sorrindo,
Pedindo o meu amor.

A sedução continua entre as trancas da porta,
As paredes se fecham e não existe mais mundo,
São só segundos e o eterno se torna um flash,
A vida cheira como se fosse jasmim.

A sedução é só sua e eu me chamo alecrim,
Você me passa a conversa,
Me arrepia e me transforma em cravo,
E os cravos ao fundo tocam uma canção medieval,
Os bandolins e os violinos se transformam em rosas.

Chegou a hora de voltar para o chão,
Pisar em terra firme,
Sentir o perfume do orgasmo,
A margarida de pétalas quebradas,
Begônias maceradas,
Violetas em botões,
Transformando o mundo em seduções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário