sexta-feira, 6 de julho de 2012

SEM PERDÃO (NATUREZA VIVA)


                                                    


                                                            SEM PERDÃO

                                        Sem perdão, andando ao relento,
                                   Procurando pelo escuro chão gosmento,
                                   E nada será achado, porque se esconde,
                                       A vergonha não deixa ver onde.

                                           A estrela beira a Lua cheia,
                                         A aranha cria a sua arte na teia,
                                E na escuridão iluminada pelo brilho da Lua,
                                   Surge do meio do nada a vergonha nua.

                                   E Eva não usa folhas para tapar seu sexo,
                         A serpente embrulha um monte de idéias sem nexo,
                                       Os querubins te chutam do Paraíso,
                                        -Vai humano! Aprende ter juízo!

                              Sem perdão, andando pelo deserto,
                            Sempre ao seu lado o diabo por perto,
                          Mais uma peça do quebra-cabeça pregar,
                             Mais um prego em sua cruz cravar.

                          O que busca a estrela luminosa no céu,
                          Esquece que amarga é a doçura do fel,
                              Perde-se dentro de seu coração,
                       Com suas idéias de um filho sem perdão.

                        O Adão não sabe onde vai sua ganância,
                            Perde-se em destruir a tolerância,
                       E o tempo se apressa para dar a sentença,
                     -Vai humano! Sem perdão é a sua crença!


                                              

Nenhum comentário:

Postar um comentário