terça-feira, 17 de julho de 2012

OS CORVOS


                                                                     


                                                             OS CORVOS

                               Espreitando lugares longínquos, onde a mente não vai,
                               Estão os corvos de Odin, procurando a alma que cai,
                              Os passados que se revelam num futuro sem volta,
                              Um presente que gera uma realidade morta.

                              As almas se escondem em recantos de deleites,
                              Jamais saem dali os pobres loucos e seus enfeites,
                             Um mundo escondido onde só os corvos podem andar,
                             Onde se chora e se perde, não adianta se lamentar.

                             E os corvos voam em seu caminho silencioso,
                             Para ver a podridão humana em rumo tortuoso,
                            Têm pena daqueles que se escondem em sua embriagues,
                            Esperando a chance de um profundo gozo, mais uma vez.

                            As almas se olham e se acham tão belas,
                            Naquele mundo mágico se transformam em feras,
                            Pobre daquele que olha no espelho e vê Narciso,
                            Não sabe que a imagem, ser apagada é preciso.

                           Odin em seu trono percebe que tudo passa,
                           Coisas imagináveis em sua abundância escassa,
                           E o tempo pede passagem para poder partir,
                           Os corvos se preparam para a hora de surgir.

                          E surgem altaneiros mostrando o futuro,
                         Tirando da lama, do desespero atrás do muro,
                         Choram as Górgonas, choram as que ficam perdidas,
                         Porque apenas os corvos têm a visão da saída.
                         Choram os corvos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário